Animais

Os 10 principais animais ameaçados de extinção

Postado em

01 – Tigre

Novos levantamentos indicam que existem menos de 3,2 mil tigres na natureza. Hoje, só restam apenas 7% do habitat natural destes animais. O extermínio dos tigres também está ligado à falta de informação. Em muitas partes da Ásia, os tigres são caçados porque partes do seu corpo são consideradas medicinais.

http://vignette2.wikia.nocookie.net/jubiropedia/images/1/15/Hermoso-tigre.jpg/revision/latest?cb=20130728054410&path-prefix=pt

02 – Urso polar

O urso polar se tornou o principal símbolo dos animais que perdem seu habitat natural devido ao aquecimento global. A elevação da temperatura no Ártico é uma das principais ameaças aos ursos, assim como os petroleiros e os derramamentos de óleo na região.

https://i1.wp.com/meumundosustentavel.com/wp-content/uploads/2010/06/urso-polar.jpg

03 – Morsa

Os mais novos animais a entrarem para a lista dos ameaçados, as morsas também são diretamente afetadas pelo aquecimento global. Em setembro, 200 morsas foram encontradas mortas nas praias do Alasca. Com o derretimento das geleiras, os animais estão ficando sem comida.

https://i2.wp.com/meumundosustentavel.com/wp-content/uploads/2010/06/morsa1.jpg

04 – Pinguim de Magalhães

O aquecimento das correntes marítimas tem forçado os pinguins a nadarem cada vez mais longe para achar comida. Não à toa, eles têm aparecido nas praias brasileiras, muitas vezes magros demais ou muito doentes. Das 17 espécies de pinguins, 12 estão ameaçadas pelo aquecimento global.

https://i1.wp.com/meumundosustentavel.com/wp-content/uploads/2010/06/pinguins1.jpg

05 – Tartaruga-gigante

Também conhecida tartaruga-de-couro, são um dos maiores répteis do planeta e chegam a pesar 700 quilos. Estimativas mostram que há apenas 2,3 mil fêmeas no Oceano Pacífico, seu habitat natural. O aumento das temperaturas, a pesca e a poluição têm ameaçado sua procriação.

https://i2.wp.com/meumundosustentavel.com/wp-content/uploads/2010/06/tartarugadecouro.jpg

06 – Atum-azul

Um dos ingredientes principais do sushi de boa qualidade, o atum encontrado nos oceanos Atlântico e Mediterrâneo está sendo extinto por causa da pesca predatória. Uma proibição temporária da pesca desta espécie de atum ajudaria suas populações a voltar a um equilíbrio. Segundo o WWF, as pessoas em geral podem ajudar a protegê-los diminuindo seu consumo.

https://i1.wp.com/pescasubrj.com/peixe/atum.jpg

07 – Gorila das montanhas

Famosos depois do filme “Nas montanhas dos gorilas”, estrelado por Sigourney Weaver, os gorilas podem deixar de existir na próxima década. Existem apenas 720 animais vivendo nas florestas da África, e outros 200 no Parque Nacional de Virunga, a maior área de preservação desta espécie. Em muitas partes da África, os gorilas são caçados porque partes do seu corpo são consideradas medicinais.

https://joaquimnery.files.wordpress.com/2015/08/dsc_5927.jpg?w=980&h=653

08 – Borboleta monarca

As temperaturas extremas são a principal ameaça destas borboletas, que todo ano cruzam os Estados Unidos em busca do calor mexicano. Elas vivem em florestas de pinheiros, área cada vez mais ameaçada pelo aquecimento global e urbanização crescente.

https://i2.wp.com/meumundosustentavel.com/wp-content/uploads/2010/06/borboleta-monarca.jpg

09 – Rinoceronte de Java

Existem apenas 60 destes rinocerontes em seus habitat natural. Como seu chifre é usado na medicina tradicional asiática, os rinocerontes são caçados de forma predatória. A expansão das plantações também tem acabado com as florestas que abrigam a espécie. O Vietnã, país que era um grande habitat dos rinocerontes, abriga apenas 12 animais no momento.

https://i2.wp.com/www.ciudad17.com/Naturaleza/wp-content/uploads/rinoceronte.jpg

10 – Panda

restam apenas 1,6 mil pandas na natureza, de acordo com o WWF. Eles vivem nas florestas da China, que estão cada vez mais ameaçadas pelo crescimento das cidades chinesas. Existe mais de 20 áreas de proteção ambiental no país para proteger estes animais. Metade dos pandas vive hoje em áreas protegidas ou em zoológicos.

https://i2.wp.com/meumundosustentavel.com/wp-content/uploads/2010/06/panda.jpg

Fonte: Biólogo Marinho, Marcelo Szpilman – Instituto Aqualung

Via: meu mundo sustentável

Anúncios

Marlim azul é declarado peixe símbolo do Espírito Santo

Postado em

A partir de agora, o marlim-azul (Makaira nigricans) é, oficialmente, o peixe-símbolo do Espírito Santo. O novo ícone capixaba foi oficializado na última quinta feira (15), através de uma lei sancionada pelo governador Paulo Hartung. Com a oficialização, o estado também ganha um dia especial para o animal, que será comemorado em todo 28 de fevereiro.

(Foto: reprodução/divinefishandmeat)

De acordo com informações do Governo do Espírito Santo, a lei declara que declara o Makaira nigricans como peixe símbolo do estado foi criada, principalmente, por conta do animal ser muito procurado por pescadores locais que praticam pesca esportiva, onde o praticante  têm como o objetivo fisgar o animal apenas pelo prazer da pesca. Após pesar, medir e fotografar, o pescador o devolve para a água.

“Pescadores do mundo inteiro são fascinados pela quantidade e tamanho dos peixes do litoral capixaba. O marlim-azul é um dos destaques da pesca esportiva no Espírito Santo, e atrai diversos turistas que sonham em encontrá-lo”, disse José Sales Filho, secretário de turismo do estado.

Ainda de acordo com informações da Secretaria de Turismo do Estado, a capital do Espírito Santo tem dois recordes internacionais pela captura de marlim azul e branco: o mundial de marlim azul é um peixe de 636 quilos, que foi capturado em fevereiro de 1992, e o do marlim branco com um peixe de 82,5 quilos, capturado em dezembro de 1979.

Topbiologia

Acidente ofídico: Picada de cobra em bovinos

Postado em

No Brasil, 90% dos casos de picada de cobra em bovinos são causadas por espécies do grupo Bothrops (jararaca, jararacuçu, caiçara, urutú, cotiara, cruzeira). Com uma freqüência menor, mas não menos importante, está a cascavel, do grupo Crotallus, responsável por cerca de 9% dos casos. A cobra coral (grupo Micrurus) raramente provoca casos de acidente ofídico em bovinos (1% dos casos). Em algumas regiões do Brasil, principalmente a Região Norte, podem ocorrer ainda casos de picada pelo grupo Lachesis. São representantes deste grupo a surucucú, a pico de jaca e a surucutinga. Sua ocorrência, porém, é extremamente rara.

Os sintomas de picada de cobra dependem essencialmente do tipo de cobra que picou. Considerando que as cobras botrópicas são as responsáveis pela maioria dos casos, devemos ter em mente a sintomatologia causada por esse tipo de cobra. Nos casos dos bovinos, é raro se presenciar o momento da picada. O principal sinal que se nota é um edema no ponto da picada, usualmente nas patas. Os orifícios ou marcas deixados pelos dentes da cobra nem sempre são visíveis. Na dependência da quantidade de veneno injetado pela cobra, esse edema pode se espalhar e, com a evolução, pode haver necrose do tecido local com o aparecimento de grandes feridas. Animais com vastas lesões podem, inclusive, apresentar-se abatidos e sem apetite em função da dor que suas feridas provocam.

As picadas de cascavel e coral, todavia, não provocam esse quadro. Não há sinais no local da picada. O que se nota é uma perturbação geral do animal que se apresenta, inicialmente, agitado e em seguida, abatido, podendo ficar até inconsciente. As picadas por cascavel podem provocar hemólise.

Antes de pensar em qualquer tipo de tratamento, o importante é lembrar de não amarrar o membro atingido, nem aplicar qualquer tipo de garrote. Essa prática é muito comum mas apenas agrava mais ainda as lesões da picada. Da mesma forma, não se deve cortar ou abrir a ferida, muito menos sugar ou aspirar no ponto da lesão. Os animais acometidos devem ser mantidos em um local isolado, em repouso. A única terapia efetiva é o soro antiofídico. Existem vários tipos de soros antiofídicos, um para cada tipo de cobra. O soro antibotrópico é, assim, o mais importante para se ter à disposição em estoque. Caso a ocorrência de picadas por cascavel sejam freqüentes, covém ter também o soro anticrotálico. Existem, ainda, soros polivalentes. Tratamento de suporte ou sintomático também pode auxiliar, na dependencia de cada caso.

Fonte: Clinica buiatrica

Imagem: Herpetofauna

7 raposas extremamente belas

Postado em

Quando pensamos em raposa, é a raposa-vermelha (Vulpes vulpes) que normalmente vem à mente. Esse enigmático animal pode ser encontrado em todo o hemisfério norte e figura em muitas histórias e desenhos animados.

No entanto, não se associa a palavra “esperta” às raposas por acaso. Este gênero diversificado e moldável tem espécies que vivem por todo o mundo, especialmente adaptadas para prosperar em seus ambientes.

Confira imagens de algumas das mais incríveis espécies de raposas no seu elemento natural:

Fenecos ou raposas-do-deserto

raposas 1-

raposas 1
Fenecos ou raposas-do-deserto são animais nativos da África do Norte e do deserto do Saara. Eles distinguem-se por suas grandes orelhas, que servem para dissipar o calor do corpo – e que também são oportunas por oferecer uma boa audiência (raposas-do-deserto podem ouvir suas presas em movimento até mesmo sob a areia). A cor creme de sua pele ajuda a espantar o calor durante o dia e a reter calor durante a noite.

Raposa-vermelha

raposas 2---

raposas 2--

raposas 2-

raposas 2
A raposa-vermelha é a maior, mais larga e mais diversa espécie entre todas as raposas. Elas podem ser encontradas em todo o Hemisfério Norte e na Austrália. Esses animais são caçadores muito ágeis e já foram vistos saltando cercas de mais de 2 metros de altura.

Raposa mármore do Ártico

raposas 3--

raposas 3-

raposas 3
Esse animal também é um membro da espécie raposa-vermelha. Sua coloração não ocorre naturalmente – foi criada por seres humanos justamente por sua pele.

Raposa-cinzenta

raposas 4-

raposas 4
A raposa-cinzenta, que vive em toda a América do Norte, passando por estados ao Norte da Venezuela e Colômbia, se distingue por sua pelagem cor “sal e pimenta” e cauda preta na ponta. Esta raposa é um dos únicos canídeos capazes de subir em árvores.

Raposa de prata ou raposa-prateada

raposas 5-

raposas 5
A raposa de prata faz parte da mesma espécie que a raposa-vermelha – simplesmente têm diferentes variações de pigmentação. Por muito tempo, foi uma das raposas mais valiosas e caçada até quase ser extinguida. Até hoje, é criada por sua pele.

Raposa-do-ártico

raposas 6---

raposas 6--

raposas 6-

raposas 6
A raposa-do-ártico pode ser encontrada por todo o Círculo Polar Ártico. Sua pele grossa permite que sobreviva em temperaturas tão baixas quanto menos 70 graus Celsius. Ela possui pernas e focinhos relativamente curtos, que a ajudam a reter calor.

Raposa-amarela

raposas 7-

raposas 7

raposas 6----
A raposa-amarela é mais uma variante de cor da raposa-vermelha. É mais comum na América do Norte.

Fonte:BoredPanda

Via Hypescience

Conheça a maior mariposa do mundo-Attacus atlas

Postado em

A mariposa atlas, ou atlas-gigante, (attacus atlas) é uma mariposa de grandes dimensões da família  saturniidae, encontrada nas florestas tropicais e subtropicais do sudeste asiático, sul da China, comum ao longo do arquipélago malaio, da Tailândia à Indonésia. Na Índia, as mariposas atlas são cultivadas por sua seda em uma capacidade não-comercial; ao contrário daquela produzida pela mariposa com parentesco tipo bicho da seda (bombyx mori), a mariposa atlas da seda é secretada como vertentes rompidas. Essa seda parecida com algodão, de cor marrom, é tida como de grande durabilidade e é conhecida como fagara. Os casulos da mariposa atlas são utilizados como bolsas em Taiwan.
.
.
As mariposas atlas são consideradas as maiores mariposas do mundo em termos de área de superfície total da asa (para mais de 400 cm²). Sua envergadura também é considerada entre as melhores, de 25–30 cm. As fêmeas são razoavelmente maiores e mais pesadas.
.
.
A maior espécie de lepidoptera, em termos de envergadura, é tida como sendo a Feiticeira Branca, thysania agrippina. Um espécime de attacus atlas de Java media 262 mm enquanto se afirma que a thysania tenha entre 270-280 mm. Baseado em algumas espécimes espalhados e ângulo da asa, a medida real de 289 mm foi estimada.
.
.
As mariposas atlas são tidas como nomeadas em homenagem ao titã da mitologia grega, ou por suas asas com padrões tipo mapas. Em Hong Kong, o nome cantonês traduz como “mariposa da cabeça de cobra”, se referindo à extensão da asa anterior, que gera uma leve semelhança a uma cabeça de cobra.
.
Origem: Wikipédia

Cinegrafista registra salto incrível de tubarão branco na África do Sul

Postado em

O cinegrafista Skyler Thomas registrou um salto impressionante de um grande tubarão branco em Mossel Bay, na África do Sul. O predador chega a ficar com o corpo completamente fora da água antes de mergulhar no mar. Assista ao vídeo.

Tubarão branco deu salto impressionante em Mossel Bay, na África do Sul (Foto: Reprodução/YouTube/White Shark Video)Tubarão branco deu salto impressionante em Mossel Bay, na África do Sul (Foto: Reprodução/YouTube/White Shark Video)
Predador chegou a ficar com o corpo completamento fora da água (Foto: Reprodução/YouTube/White Shark Video)Predador chegou a ficar com o corpo completamente fora da água (Foto: Reprodução/YouTube/White Shark Video)
.

Como alimentar e cuidar dos filhotes de veado

Postado em

Se você encontrar um filhote de veado sozinho e sem a sua mãe nas proximidades, não se desespere. Em vez disso, observe-o por algumas horas. Muitas vezes, as mães deixam seus bebês para trás para encontrar comida e provavelmente voltam dentro de uma a duas horas para cuidar dele. Se depois de algumas horas a mãe não voltou, você pode precisar tomar algumas medidas para ajudar o bebê cervo.

Se você encontrar um filhote, espere para ver se a mãe retornahttps://i0.wp.com/i.imgur.com/Qjiwc.jpg

Instruções

Alimentando

  1. 1

    Ligue para o abrigo de controle de animais e atualize-os sobre a situação. Se você perceber que em 24 horas a mãe do cervo não voltou nenhuma vez, pode precisar fornecer alimento para o filhote.

  2. 2

    Determine se o filhote está desidratado e desnutrido. Para fazer isso, verifique se os olhos estão fundos e as costelas protuberantes.

  3. 3

    Coloque uma bebida nutritiva que substitua os eletrólitos, como Pedialyte, em uma mamadeira limpa com um bico de corte transversal. Este corte é mais fácil para o filhote beber. Aproxime-se com cuidado para que ele não se assuste.

  4. 4

    Segure o frasco para mostrar para o filhote que você tem o alimento. Mantenha o frasco alto. Levantado dessa forma, o frasco fica na mesma posição que eles iriam beber de sua mãe. Permita que o filhote mame no bico da mamadeira. Ele pode hesitar, mas seja paciente, provavelmente, irá beber. Alimente-o com 100 ml. Faça com que ele beba um frasco da substituição de eletrólitos a cada três a quatro horas. Mantenha um registro das mamadas para mostrar para o abrigo de animais quando eles chegarem.

Cuidados

  1. 1

    Mantenha todos os membros da família, incluindo animais de estimação, longe do veado. Aproximar-se do filhote se a mãe está por perto pode representar uma ameaça. Lembre-se de esperar 24 horas para ver se a mãe retorna antes de agir.

  2. 2

    Siga as instruções que o abrigo de animais vai lhe dar. Isso pode incluir verificar se o filhote apresenta qualquer ferimento ou ossos quebrados. Continue mantendo os membros adicionais da família e bichos de estimação longe do animal; eles podem assustá-lo. Mantenha um registro de quaisquer mudanças nas circunstâncias. Passe as informações para o abrigo de animais quando eles chegarem.

  3. 3

    Não mova o filhote até o abrigo fornecer instruções. Coloque um cobertor sobre ele se estiver frio lá fora e preocupe-se com a temperatura do filhote.