Religião

Curiosidades Sobre o Anticristo

Postado em

Acreditamos que muitas pessoas já devem ter ouvido falar do Anticristo.

Mas quem é ele realmente e o que pretende? É o que vocês verão nas curiosidades a seguir.

Mas antes de começarmos a nossa matéria, gostaríamos de esclarecer que não estamos pregando nenhuma religião aqui, são apenas algumas curiosidades sobre o Anticristo, caso você queira saber mais sobre ele.

Lembrando que não estamos criticando nenhuma religião ou dominação, por isso podem ficar tranquilos.
.
Mas afinal, quem é o Anticristo?
.

O Anticristo, segundo a Bíblia, será um homem que se levantará diante do mundo em pleno caos de guerra e desespero pregando a paz, mostrando sinais que ele pode mudar o mundo unificando todos os países tornando o mundo em um só, criando uma única moeda mundial, uma única religião e claro com ele próprio no poder mundial.

Este homem terá uma habilidade e capacidade incrível, se tornando o maior líder da terra. Terá o dom de atrair pessoas e com ele no poder a paz será conquistada assim como solucionados todos os problemas.O anticristo controlará todas as pessoas sem que elas percebam, ao menos a princípio…
.
Mas qual seu objetivo?
.
Declarar-se à Messias de Israel e obrigará a todas as pessoas adorá-lo como um deus, descumprindo seu tratado mundial de paz e estabelecendo a guerra voltando-se contra os que acreditam em Deus.
.
O que acontecerá? 
.

Quando Jesus Cristo voltar derrotará o anticristo lançando-o em um lago de fogo e enxofre e buscará seus escolhidos.

.
Qual o significado da palavra Anticristo?
.
Há dois significados para essa palavra, originalmente ela veio do grego por isso possui dois significados que é contra cristo no sentido de uma pessoa poder estar em oposição ao trabalho de Cristo.
O segundo significado seria em vez de Cristo, no sentido de uma pessoa ou um certo poder ‘tomar o lugar de Cristo’ , ou é uma ‘imitação de Cristo’.
.
Mas e quanto a essas pessoas que se autodenominam ser Deus ou Jesus eles poderiam ser o Anticristo?
.
Na verdade existem sim pessoas pregando pela terra ser Deus ou Jesus, até mesmo o diabo, e por causa disso muitos pensam que ele é o Anticristo realmente, mas essas pessoas seriam falsos profetas, que tem a intenção de enganar as pessoas.Como dissemos no começo não vamos criticar nenhuma religião por isso não vamos citar nome algum.E isso não é novidade. Desde os primeiros templos que criados no mundo, já começou a surgir os falsos profetas, essas pessoas pregavam sobre o Anticristo, mas o verdadeiro anticristo mesmo está por vir, talvez nem tenha nascido ainda.
.
Quem pregava?
.
De acordo com a Palavra de Deus, anticristos eram falsos Cristãos que se haviam separado do grupo dos verdadeiros crentes. Eram mentirosos que afirmavam que Jesus não era o Messias.
Lembrando que os anticristos não são ateus. Não são pagãos que estão lutando contra Jesus. São indivíduos que estão pregando um evangelho, mas que não é o verdadeiro. É um ‘evangelho diferente’.
.
Qual seria o evangelho diferente?
.
O que afirma que Jesus não era o Messias. Que nega o pai e o filho. Dizendo que Jesus não veio em carne e tal enganador nada é mais que o anticristo.
.
Quando irá aparecer esse falso profeta? O verdadeiro anticristo!
.

Ninguém sabe quem será o anticristo, e muito menos quando aparecerá. Muitos até duvidam que um dia ele vá aparecer. Mas se você já leu o Apocalipse alguma vez ou ouviu falar, deve ter percebido que tudo o que vem acontecendo nos dias atuais já estava previsto.

Portanto acreditamos que a vinda dele não demorará muito, nem a de Jesus Cristo que virá levar os escolhidos de Deus.

Muitos duvidam, não estamos te obrigando a acreditar nisso, foi apenas uma pesquisa que fizemos pra matar a sua e a nossa curiosidade.

Anúncios

Você conhece a origem da palavra “amém”?

Postado em

Utilizada por religiosos de todo o mundo, palavra é usada da mesma maneira que os hebreus faziam no passado.

Fonte da imagem: Shutterstock Você conhece a origem da palavra "amém"?

A palavra “amém” é um dos raros exemplos de palavras que mantiveram seu significado original quase imutável por milênios, mesmo após ser adotada por línguas das mais diversas famílias linguísticas. No entanto, você conhece a sua origem?

A palavra em hebraico אָמֵן (āmēn) pode ser traduzida literalmente como “espere por isso”. No entanto, o seu uso, desde alguns dos primeiros textos judaicos, apresenta o significado “que assim seja”, no sentido de reforçar a veracidade de uma declaração, ou de concordância com o seu conteúdo.

Ao longo dos séculos, a palavra acabou sendo transportada para diferentes línguas, mantendo este mesmo significado. Assim, hoje é possível ouvir “amém” sendo utilizada com o mesmo significado por católicos, judeus e muçulmanos de qualquer nacionalidade.

Curiosidades

  • Originada no hebraico, a palavra “amém” chegou ao grego e, posteriormente, ao latim quando teólogos gregos traduziram a Bíblia para o idioma. Posteriormente, a palavra chegou também ao árabe e ao inglês.
  • Um dos diversos nomes atribuídos a Jesus na Bíblia é “o Amém” em (Apocalipse 3:14), em que o profeta “é descrito como a testemunha fiel e verdadeira”.
  • A palavra hebraica “amen” deriva de “amán”, do mesmo idioma. Alguns estudiosos acreditam que esta palavra seria derivada de um antigo deus egípcio chamado Amum (que, em alguns casos, aparece chamado de Amen). No entanto, a maior parte dos especialistas acredita que isso não passa de uma mera coincidência.
  • A última palavra da Bíblia é Amém. “A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém” (Apocalipse 22:21)

via Megacurioso

Fonte Today I Found Out

Estudo sugere relação entre religiosidade e depressão

Postado em

 Espiritualidade tem conexão com maior espessura do córtex cerebral, característica notada em pessoas com menor risco de depressão

Estruturas cerebrais podem ser a chave para entender fatores que impedem a depressãoEstruturas cerebrais podem ser a chave para entender fatores que impedem a depressão (Thinkstock)
<

Cientistas já sabem que alguns aspectos da anatomia cerebral podem indicar o risco de uma pessoa ter depressão. Um deles é a espessura do córtex, membrana que reveste o órgão — ele é mais fino em indivíduos com mais chances de ter a doença. Agora, um novo estudo dá pistas sobre o que pode influenciar nessa característica do córtex: a religiosidade. De acordo com a pesquisa, pessoas que nutrem esse sentimento tendem a ter um córtex cerebral mais espesso e, consequentemente, um risco menor de depressão do que as outras.

O trabalho ainda não conseguiu comprovar, contudo, se a importância dada à espiritualidade aumenta a espessura do córtex cerebral, ou se é o contrário — ou seja, se a maior espessura da membrana predispõe uma pessoa a dar maior importância à religião.

Estudos anteriores já haviam mostrado que, entre pessoas com predisposição genética à depressão – ou seja, com histórico da doença na família –, aquelas que são religiosas podem ter um risco até 90% menor de desenvolver o transtorno do que as que não são religiosas.

Diante dessas evidências, os autores da nova pesquisa buscaram entender de que forma a religiosidade pode se relacionar à depressão. Para isso, eles selecionaram 103 pessoas de 18 a 54 anos, sendo que somente parte delas tinha predisposição genética para a depressão. Por cinco anos, os cientistas analisaram a importância da religião e a frequência com que elas visitavam templos e igrejas, além de submeter os voluntários a exames de ressonância magnética com o objetivo de verificar a anatomia cerebral.

No final do estudo, os pesquisadores observaram que os participantes que davam mais importância a questões espirituais, não importando com que frequência iam a igrejas ou templos, possuíam um córtex mais espesso em algumas áreas do cérebro. Essa associação entre religiosidade e a espessura do córtex aconteceu em todos os participantes, mas foi mais forte entre aqueles que tinham histórico de depressão na família.

A pesquisa foi feita na Universidade Columbia, Estados Unidos, e publicada nesta quarta-feira no periódico JAMA Psychiatry.

Você sabia que a suástica representa a “harmonia universal” para o budismo?

Postado em

Tradicionalmente associada ao nazismo, a suástica surgiu em várias culturas ao redor do mundo com significados diferentes

Você sabia que a suástica representa a "harmonia universal" para o budismo?Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Quando você vê o desenho de uma suástica, qual é a primeira coisa que vem à sua mente? Muito provavelmente a maioria das pessoas responderia a essa pergunta com algo que pudesse ser relacionado a Adolf Hitler e ao nazismo. Agora, o que poucos de nós sabemos é que esse símbolo pode representar valores muito diferentes em outras culturas.

De acordo com o site Today I Found Out, no budismo, a suástica está diretamente associada à harmonia universal, ao darma, ao equilíbrio dos opostos e, na sua origem, significava eternidade e boa sorte. Mas, com o passar do tempo, o símbolo passou a ter uma má reputação graças ao Führer e seu partido político.

Embora o ditador alemão tenha colaborado grandemente para a popularização do símbolo no Ocidente, é preciso lembrar que a suástica já era usada com frequência muito tempo antes do surgimento do nazismo. Na verdade, os registros relatam que os primeiros emblemas apareceram cerca de cinco mil anos atrás.

Tapeçaria tradicional dos índios navajos. Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons

As origens da suástica

Curiosamente, embora os primeiros artefatos decorados com o símbolo tenham sido encontrados na Índia, não é possível associar o surgimento da suástica a uma única parte do mundo. De alguma maneira, notou-se que o desenho apareceu ao redor do planeta em quase todas as culturas, independentemente da relação com o budismo ou o hinduísmo.

Os índios navajos, os celtas, os judeus, os cristãos e até mesmo os antigos gregos e romanos foram alguns dos povos que utilizaram o símbolo ao longo da história por algum motivo. A explicação para a suástica ter aparecido em tantas partes do mundo pode estar na difusão entre culturas que aconteceu em determinadas épocas, mas essa justificativa não serve para todos os casos.

Alguns teóricos acreditam que o formato da suástica seria algo com que necessariamente qualquer sociedade que fizesse cestos estaria familiarizada, já que o símbolo costuma aparecer na trama dos artefatos. Essa explicação parece plausível para justificar a origem do símbolo, mas ela não dá conta de mostrar como a suástica ganhou um significado tão importante em grande parte das culturas.

Representações de cometas em antigos escritos chineses. Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons

O cientista e astrônomo americano Carl Sagan apresentou sua teoria quanto à importância do emblema. Segundo ele, alguns antigos escritos chineses sobre cometas traziam representações no formato da suástica. A teoria de Sagan sobre o aparecimento desse símbolo e a sua importância para o mundo é que um cometa poderia ter se aproximado tanto da Terra que os jatos de gás que saíram dele alteraram sua rotação, o que se tornou visível e formou no céu o desenho da suástica – esse teria sido o acontecimento responsável por fazer com que o símbolo ganhasse importância ao redor do mundo.

A suástica e o nazismo

Mas então como a suástica foi para na bandeira nazista? O arqueólogo alemão Heinrich Schliemann foi quem encontrou o desenho em um antigo sítio na cidade de Troia e acreditou que havia uma importante ligação religiosa entre o símbolo e seus ancestrais alemães. Para essa afirmação, ele se baseou no fato de que a suástica era comumente encontrada em antigas olarias germânicas e que, de alguma maneira, teria ido parar no sítio arqueológico que ele estudava.

Logicamente, se nos lembrarmos de que a suástica é um desenho que surgiu em muitas culturas ao longo da história, sua teoria de que o símbolo teria se originado na Alemanha não se sustenta. De qualquer maneira, o trabalho de Schliemann eventualmente colaborou com o Movimento Völkisch e com o fato da suástica ser eleita o símbolo da “raça ariana”.

Capacete do exército nazista em exposição em Praga, na República Tcheca. Fonte da imagem: Reprodução/Jan S. – Shutterstock

O site ainda ressalta que Hitler estava familiarizado com o símbolo e o associava à descendência cultural ariana dos alemães. Tudo indica que ele também teria tido contato com o desenho na escola que frequentou na Áustria durante a infância: a instituição tinha uma suástica gravada no portal do monastério e outra na entrada da gruta que ficava no pátio.

Ao criar a bandeira do Partido Nazista, o Führer teria buscado incorporar a suástica e as cores de maneira a recuperar e honrar a descendência alemã: “O vermelho expressa o pensamento social que está sob o movimento. Branco, o pensamento nacionalista. E a suástica significa a missão a nós reservada: a luta pela vitória da raça humana ariana e, ao mesmo tempo, o triunfo do ideal de trabalho criativo”.

FONTE

Você sabia que Jesus Cristo não era carpinteiro?

Postado em

Pelo menos é o que defendem algumas teorias que defendem que a profissão de Jesus foi, na verdade, traduzida de maneira errada. Saiba mais sobre essa teoria a seguir

 

Não interessa se você é católico ou faz parte de qualquer outra religião. Não importa se você acredita na existência de Jesus Cristo ou não. Independente de qualquer um desses fatores, uma coisa é verdade: todos nós conhecemos a história do “filho de Deus”, não é mesmo?

Agora responda rápido: qual era a profissão de Jesus? Ah, essa é fácil! Carpinteiro é a resposta certa, não é? Bem, de acordo com alguns novos estudos a respeito da tradução da palavra grega “tecton”, citada em Marcos, e escrita “tekton” em Mateus, os termos descreveriam um profissional de serviços gerais.

Esses estudos sugerem que não só Jesus trabalhava como o famoso “faz-tudo” como, ao que tudo indica, serviços envolvendo marcenaria nem faziam parte do seu cotidiano. Contudo, é preciso entender que ele não fazia apenas pequenos afazeres, mas também já foi citado em serviços que envolviam projetos e construções de pontes, templos de pedras e afins – trabalhos que talvez o rendessem, hoje, um futuro como arquiteto ou engenheiro.

Fonte: