Conheça 10 sites que podem deixar você mais inteligente

Postado em

Fonte da imagem: Shutterstock

Pode parecer clichê, mas a internet está aí para derrubar fronteiras da informação. Atualmente, boa parte do conhecimento e técnicas que estariam escondidas dentro de livros pouco acessíveis está aberta na internet para consulta geral.

Às vezes ela está disponível em forma de cursos extremamente didáticos, ou então em forma de infográficos inteligentes. A lista a seguir, baseada no artigo do site Lifehacker, ensina até mesmo como melhorar sua velocidade de leitura. A maioria dos sites está em inglês. Confira:

Duolingo
A maioria dos sites descritos na lista são em inglês. Se você ainda não conhece o idioma, você está perdendo uma parte enorme do que a internet tem a oferecer, não só em conhecimento, mas também em relação a entretenimento. O Duolingo permite o aprendizado de Espanhol, Inglês, Alemão, Francês, Italiano e o Português, para quem é de fora em alguns meses, dependendo do empenho. Outras línguas devem ser acrescentadas ao longo do tempo.

Khan Academy [inglês]
Quer entender melhor algum assunto que não lhe é familiar? Este site pode ensinar várias disciplinas, desde o nível fundamental até o superior. São vários assuntos abordados, como matemática, ciência, história, entre outras. A plataforma também auxilia a registrar o progresso do seu estudo.

MIT Open Courseware [inglês]
Educadores do MIT, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, uma das instituições de ensino mais respeitadas do mundo liberaram e organizaram informações e cursos onlines nesta plataforma aberta.

Information is Beautiful [inglês]
Às vezes, a melhor forma de entender uma informação é por meio de gráficos. O site é especializado no repasse de informações de forma bem visual, com excelentes infográficos. Simples e eficiente.

Spreeder
O site foi criado para ajudar as pessoas a lerem e assimilarem textos de forma mais rápida. Segundo ele, o motivo pelo qual lemos tão devagar é porque nossa “voz interna” precisa acompanhar a leitura, o que é algo muito lento. O Spreeder teoricamente acaba com esse problema, mostrando as palavras em um ritmo superior ao que essa voz consegue acompanhar, fazendo com que sua visão fique livre para assimilar a informação no ritmo que preferir. Basta colar um bloco de texto no aplicativo e definir a velocidade em que o texto será mostrado.

Codecademy [inglês]
Provavelmente o principal site quando o assunto é ensino de programação para leigos na internet. O Olhar Digital já fez uma matéria especial sobre a empresa há algum tempo e o site continua sendo uma forma popular de ensinar o beabá da programação para leigos e interessados. Inclusive, a promessa é de ensinar a programar em apenas um ano.

16. Lumosity [inglês/pago]
Jogos e ensino andando lado a lado. O Lumosity organiza uma agenda diária de games para melhorar o desempenho do cérebro em relação a velocidade, memória, atenção, flexibilidade e solução de problemas. O software também entende quais suas forças e fraquezas para ajudar a melhorar seu desempenho. Infelizmente ele é pago.

Coursera
Mais um excelente site com cursos diversos e gratuitos. Música? Está lá. Química? Também. Até medicina tem seus cursos. Alguns deles também estão traduzidos para o português, mas não são muitos.

Udemy
Se é especialista em alguma coisa, por que não repassar? A Udemy une pessoas dispostas a ensinar e outras interessadas a aprender alguma coisa. Alguns cursos são pagos, outros gratuitos. Até cursos de ioga podem ser encontrados, já que se trata de um espaço onde qualquer um pode ensinar aquilo em que é bom.

Wikipedia
Como falar de conhecimento na internet sem lembrar da Wikipedia? Com o devido cuidado para filtrar possíveis falhas, a enciclopédia livre mais conhecida na web pode ser a porta de entrada para todos os assuntos. Se o artigo não for confiável o bastante, sempre há os links de referência que oferecem uma base mais sólida para os temas.

Fonte

Anúncios

Hackeando o próprio corpo: biohackers inserem placas, ímãs e outros dispositivos em si mesmos

Postado em

Tim Cannon com o Circadia implantado em seu braço esquerdo, ainda com as suturas aparentes

Tim Cannon com o dispositivo Circadia, para medir a temperatura do corpo, implantado em seu braço esquerdo

Alguns passos antes da aprovação médica estão os biohackers. Parentes próximos dos modificadores corporais, os hackers do corpo estão interessados em não apenas vestir tecnologia, mas inseri-la dentro do próprio organismo para criar novas sensações e permitir o monitoramento de índices como batimentos cardíacos e temperatura. Os projetos desses biohackers ainda chocam bastante a sociedade, em especial porque são feitos de forma independente. Médicos não são autorizados a realizar procedimentos de modificação corporal a não ser que exista uma necessidade médica de fazê-lo, e sempre seguindo diretrizes aprovadas pelos conselhos de medicina de onde clinicam.

Tim Cannon, por exemplo, queria que as medições de temperatura do seu corpo fossem feitas de forma constante, gerando relatórios que permitissem que ele pudesse perceber a baixa do seu sistema imunológico e agir de forma preventiva. Para isso, ele inseriu em seu braço esquerdo uma caixinha com sensores, uma placa lógica e uma bateria que pode ser carregada via wireless. O kit completo se comunica com smartphones ou tablets, oferecendo a ele um relatório sobre a sua saúde, que pode ser inclusive utilizado por um médico para melhor avaliar a situação do paciente.

Como a prática ainda não é aprovada pela FDA – por uma série de motivos, inclusive o fato de que a bateria pode vazar no corpo de Cannon, e a dose de solução alcalina liberada por ela poderia ser fatal! – o biohacker precisou fazer o implante por conta própria, com ajuda de um profissional de Body Modification. As imagens são fortes para os mais sensíveis, pois mostram pontos ainda frescos e o dispositivo bem visível sob a pele, dando a impressão de que pode rasgar.

No vídeo abaixo, Cannon mostra o gadget sendo carregado. Caso não queira ver a pele do rapaz toda esticada, arroxeada e com pontos aparentes, é melhor não assisti-lo:

O kit é conhecido como Circadia 1.0, uma iniciativa de código aberto que promete revolucionar a forma como a tecnologia se integra com a ciência médica, e é implantado entre a pele e os músculos do biohacker. LEDs coloridos servem até para o deleite de Cannon, que se diverte iluminando a tatuagem que fica sobre o implante. A fabricação é feita pela Grindhouse Wetware, um coletivo de programadores, engenheiros e entusiastas do biohack que desenvolvem o equipamento com o objetivo de criar “dispositivos seguros, acessíveis, com tecnologia de código aberto”.

Na ponta dos dedos

Para saber mais sobre a iniciativa, o Tecnoblog conversou com alguns biohackers que também fizeram alguns implantes por conta própria, em uma modalidade mais branda, que se contenta com a inserção de imãs poderosos sob a pele, permitindo que os hackers sintam ondas eletromagnéticas. No geral, esses implantes são feito em algum dos dedos, e os biohackers alegam que passam a ter um “sexto sentido”, pois conseguem, por exemplo, perceber com o corpo quando um dispositivo eletrônico está ligado, devido à vibração.

Peyton e seu dedo com o ímã implantado, ainda com curativos

Peyton e seu dedo com o ímã implantado, ainda com curativos

Peyton Rowlands, de 19 anos, é um deles. Ele documentou em vídeo todo o processo do implante (assista se aguentar ver sangue e cortes, esteja avisado), feito por ele mesmo em casa, sem anestesia, submergindo o dedo em gelo por cerca de 20 minutos antes de realizar a incisão e posicionar o ímã de neodímio por sob a pele.

Sobre realizar o procedimento de forma independente, ele conta que fez uma extensa pesquisa sobre assepsia, para garantir que as chances de infecção fossem mínimas, e diz acreditar que não se trata de um procedimento invasivo o suficiente para ser muito perigoso. Em uma foto detalhando a incisão, que aparece um pouco avermelhada, ele explica que aquilo fora resultado de um “erro técnico”, pois ele removera um torniquete segundos antes do devido. Afinal, com conhecimentos teóricos de anatomia e pequenas cirurgias, não era mesmo esperado que tudo ficasse 100%, mas Peyton declara não se importar –  ele acredita que o implante lhe oferecerá uma nova opção sensorial, que permite compreender a tecnologia de uma forma sinestésica, por meio de campos magnéticos.

Caleb Nelson, de 20 anos, já está em um estágio mais avançado do que Peyton. Graduando em ciência cognitiva, ele tem um implante magnético em seu dedo há 10 meses, e diz que, como pesquisador, está muito interessado em entender como o cérebro incorpora novas sensações e informações sensoriais. “De um ponto de vista subjetivo, o que eu consegui melhorar bastante foi o meu entendimento de como o magnetismo funciona. Uma coisa é aprender sobre isso na teoria, e outra completamente diferente é ser capaz de estender a mão e efetivamente sentir campos magnéticos”, conta ele. Outra vantagem é conseguir saber se um dispositivo eletrônico está ligado sem precisar nem mesmo conferir a luzinha do LED – o dedo com o ímã de neodímio dá a dica de quando há ou não eletricidade circulando.

Aplicação na medicina

Pode parecer um experimento maluco, como se fosse uma nova modalidade de modificação corporal, mas o que esses biohackers estão tentando fazer pode ser uma realidade em breve. A doutora Ivone da Silva Duarte, pesquisadora e docente de cirurgia plástica do curso de medicina da Uninove, conta que apesar de não haver ineditismo na prática dos rapazes – afinal, inserir objetos debaixo da pele é algo que os praticantes de body modification já fazem há um bom tempo – existe sim potencial para o desenvolvimento de dispositivos subcutâneos para ajudar no monitoramento de pacientes, na administração de medicamentos de forma constante e controlada e até no armazenamento de informações sobre o perfil do paciente para o caso de ele ficar inconsciente. “Com a robótica e a nanotecnologia evoluindo cada vez mais, diferentes tipos de dispositivo poderão ser produzidos e implantados em curto espaço de tempo”, especula a doutora.

No entanto, vale frisar que os procedimentos executados por Caleb e por Peyton, sejam eles com assistência de um profissional de modificação corporal ou por conta própria, não são recomendados pelos médicos.  No caso de Cannon, ainda há o agravante da possibilidade de vazamento de componentes químicos. “O equipamento é de fabricação caseira, não dá pra ter garantia da qualidade do material, da vedação, durabilidade do produto e nem das baterias em particular. Há necessidade dos materiais serem compatíveis com o uso no corpo humano e atenderem a critérios de segurança”, lembra a médica. A inclusão de um material que não atenda às especificações de segurança dentro da medicina pode levar a infecções, que, se agravadas podem requerer a retirada do material. A cicatriz, no entanto, dificilmente desaparecerá.

Ciborgue oficial

Um paralelo interessante é comparar as iniciativas dos biohackers com o caso de Neil Harbisson, reconhecidamente um ciborgue. Neil implantou, com auxílio médico, um sistema que permite a ele ouvir um som para cada tipo de cor reconhecido pela câmera acoplada à sua cabeça. O tom musical de cada tonalidade é ouvido por Neil através de indução óssea, permitindo que ele, que é daltônico, passe a perceber o mundo em cores, ainda que ele “enxergue” apenas em preto e branco.

Neil Harbisson, reconhecidamente um ciborgue, com o seu Eyeborg

Neil Harbisson, reconhecidamente um ciborgue, com o seu Eyeborg

Neil provavelmente conseguiu enquadrar a sua necessidade de implante com as diretrizes médicas, pois a instalação do equipamento, apelidado de Eyeborg, foi feita em um hospital. Ele explica que não considera mais o equipamento algo “extra” em seu corpo, mas sim uma nova parte dele, pois o software de reconhecimento de cores e o seu cérebro passaram a trabalhar em conjunto, fazendo com que ele até mesmo sonhe em cores (ainda que cores musicais). “Nosso conhecimento vem dos sentidos. Se pudermos estender os sentidos, vamos consequentemente aumentar nosso conhecimento”, acredita o ciborgue.

Esse futuro de novas sensações e extensões tecnológicas do nosso corpo não parece muito distante. Você toparia implantar aí um upgrade na sua “máquina”?

Fonte da matéria

Os 7 tipos de inteligência: Qual é a sua?

Postado em

A Evolução do Conceito de Inteligência
Durante grande parte dos séculos 19 e 20, acreditou-se que a inteligência era algo podia ser facilmente medida, determinada e comparada através de testes, como o famoso teste de QI por exemplo, que dava a inteligência da pessoa em números. No entanto, com o tempo, o teste de QI foi caindo em descrédito pois pouco a pouco foi se notando que nem sempre as pessoas mais inteligentes e bem sucedidas obtinham os melhores resultados.

Os psicólogos e pesquisadores começaram a notar que havia alguns casos de pessoas que obtinham resultados medíocres nos testes de QI, mas que se davam bem na vida pois eram pessoas determinadas, disciplinadas, persistentes e carismáticas. Mas como pessoas consideradas “burras” pelo teste de QI poderiam ter tanto sucesso ?

A resposta é simples: existem vários tipos de inteligência !!

Segundo Howard Gardner, psicólogo autor desta teoria, existem ao todo 7 tipos de inteligência e todas as pessoas tem um pouco das 7 combinados dentro de si. No entanto cada pessoa tem um deles desenvolvido de modo mais forte e que se sobrepõe sobre os outros.

Os 7 tipos de inteligência identificados no trabalho de Howard Gardner são:

Inteligência Linguística

As pessoas que possuem este tipo de inteligência tem grande facilidade de se expressar tanto oralmente quanto na forma escrita. Elas além de terem uma grande expressividade, também tem um alto grau de atenção e uma alta sensibilidade para entender pontos de vista alheios. É uma inteligência fortemente relacionada ao lado esquerdo do cérebro é uma das inteligências mais comuns.

Inteligência Lógica

Pessoas com esse perfil de inteligência tem uma alta capacidade de memória e um grande talento para lidar com matemática e lógica em geral. Elas tem facilidade para encontrar solução de problemas complexos, tendo a capacidade de dividir estes problemas em problemas menores e ir os resolvendo até chegar a resposta final. São pessoas organizadas e disciplinadas. É uma inteligência fortemente relacionada ao lado direito do cérebro.

Inteligência Motora

Pessoas com este tipo de inteligência possuem um grande talento em expressão corporal e tem uma noção espantosa de espaço, distancia e profundidade. Tem um controle sobre o corpo maior que o normal, sendo capazes de realizar movimentos complexos, graciosos ou então fortes com enorme precisão e facilidade. É uma inteligência relacionada ao cerebelo que é a porção do cérebro que controla os movimentos voluntários do corpo. Presente em esportistas olímpicos e de alta performance. É um dos tipos de inteligência diretamente relacionado a coordenação e capacidade motora.

Inteligência Espacial

Pessoas com este perfil de inteligência, tem uma enorme facilidade para criar, imaginar e desenhar imagens 2D e 3D. Elas tem uma grande capacidade de criação em geral mas principalmente tem um enorme talento para a arte gráfica. Pessoas com este perfil de inteligência tem como principais características a criatividade e a sensibilidade, sendo capazes de imaginar, criar e enxergar coisas que quem não tem este tipo de inteligência desenvolvido, em geral, não consegue.

Inteligência Musical

É um dos tipo raros de inteligência. Pessoas com este perfil tem uma grande facilidade para escutar músicas ou sons em geral e identificar diferentes padrões e notas musicais. Eles conseguem ouvir e processar sons além do que a maioria das pessoas consegue, sendo capazes também de criar novas músicas e harmonias inéditas. Pessoas com este perfil é como se conseguissem “enxergar” através dos sons. Algumas pessoas tem esta inteligência tão evoluída que são capazes de aprender a tocar instrumentos musicais sozinhas. Assim como a inteligência espacial, este é um dos tipos de inteligência fortemente relacionados a criatividade.

Inteligência Interpessoal

Inteligência interpessoal é um tipo de inteligência ligada a capacidade natural de liderança. Pessoas com este perfil de inteligência são extremamente ativas e em geral causam uma grande admiração nas outras pessoas. São os lideres práticos, aqueles que chamam a responsabilidade para si. Eles são calmos, diretos e tem uma enorme capacidade para convencer as pessoas a fazer tudo o que ele achar conveniente. São capazes também de identificar as qualidades das pessoas e extrair o melhor delas organizando equipes e coordenando trabalho em conjunto.

Inteligência Intra pessoal

É um tipo raro de inteligência, também relacionado a liderança. Quem desenvolve a inteligência interpessoal tem uma enorme facilidade em entender o que as pessoas pensam, sentem e desejam. Ao contrário dos lideres interpessoais que são ativos, os lideres interpessoais são mais reservados, exercendo a liderança de um modo mais indireto, através do carisma e influenciando as pessoas através de ideias e não de ações. Entre os tipos de inteligência, este é considerado o mais raro.

As Inteligências Predominantes:

Porcentagem das pessoas em que cada tipo de inteligência predomina:

Inteligência Linguística * 29 %

Inteligência Lógica * 29 %

Inteligência Motora 16 %

Inteligência Espacial 14 %

Inteligência Musical 6 %

Inteligência Interpessoal 4 %

Inteligência Intra pessoal 2 %

Estresse rouba um mês de sono por ano

Postado em

tired1

Quantas vezes você não perdeu o sono por se preocupar com tantos problemas? É conta pra pagar, trabalho atrasado, pagamento que não chega. Fica difícil dormir tranquilo com tanta coisa para resolver. E essas horas perdidas em preocupações rendem, no fim das contas, um saldo negativo de 30 dias de sono. Pois é, em média, a gente perde um mês de sono, todo ano, por culpa do estresse.

É o que mostra o estudo encomendado pela Direct Line, empresa britânica de seguros. Os pesquisadores entrevistaram 2 mil britânicos para saber quanto tempo costumavam dormir e quanto tempo perdiam absortos em preocupações. Quase 70% diziam perder até 2 horas diárias de sono pensando em problemas. E desse número saiu a média: em um ano, são 730 horas de sono perdido. Ou 30,4 dias.

Sem nenhuma surpresa, os entrevistados citaram trabalho e dinheiro como as maiores preocupações, os maiores vilões dos sonos tranquilos. Já outros 20% dos insones não podiam dormir por outro problema: os roncos do parceiro ao lado.

E qual o segredo para dormir bem? Dizem os especialistas que a melhor forma vencer a insônia é escutar música calma ou barulho de chuva, mar ou cachoeira antes de tentar dormir. Será que funciona mesmo?

Crédito da foto: flickr.com/pedrosimoes7

Fonte:

Cães veem os donos como se fossem seus pais

Postado em

dog1

Que fofura. E como você é o pai, claro, seu cachorro age como se fosse uma criança – mesmo se ele já estiver velhinho.

Foi o que 22 cachorros mostraram numa pesquisa liderada pela veterinária Lisa Horn, da Universidade de Viena, na Áustria. Ela os separou em três grupos: um terço ficaria sem o dono, enquanto os outros estariam acompanhados por eles – só que parte dos donos deveria se manter em silêncio, e outra parte deveria encorajar os cães a fazer as atividades. E tudo o que os bichinhos precisavam fazer era interagir com alguns brinquedos. Em troca, ganhariam comida.

Os cachorros que estavam com os donos passavam muito mais tempo brincando. Nem a comida servia para motivar os cães ‘abandonados’.

A pesquisadora refez o teste, mas dessa vez os donos foram substituídos por pessoas desconhecidas. Nenhum dos cães mostrou muito interesse pelos brinquedos.

Segundo Horn, os testes são suficientes para provar a existência da “área de segurança”. Ou seja, os cães se sentem mais seguros, confiantes e confortáveis na presença dos donos. Sem eles, tudo parece mais perigoso – e sem graça. E é exatamente o que acontece na relação entre pais e filhos pequenos. “Esta é a primeira evidência da similaridade entre o ‘efeito de base segura’ encontrado na relação dono-cachorro e na criança-pai”, diz a pesquisa.

Pra quem tem um bichinho é fácil perceber isso, não? Quantas vezes você não disse por aí que seu cachorro age sempre como se fosse uma criança?

Crédito da foto: flickr.com/mfhiatt

Fonte:

4 razões científicas para adotar um cachorro

Postado em

dog1

Precisa mesmo da ciência? Essa foto não basta? Pensar na recepção calorosa toda vez que você chegar em casa também não é suficiente? Bem, então, vamos lá.

DIMINUI ESTRESSE NO TRABALHO
Pesquisadores da Universidade da Comunidade da Virginia pediram a 30 funcionários de uma empresa para levarem seus cachorros ao trabalho, durante uma semana. Outro grupo de 35 funcionários seguiria a rotina normal, sem a companhia dos bichinhos. Todos os voluntários tiveram de responder a questionários e ceder amostras da própria saliva aos pesquisadores  (foi usada para medir o nível de estresse). Ao final do dia, os funcionários “solitários” acabavam o dia mais estressado do que os felizardos acompanhados pelo cão.

DEIXA SEU CORAÇÃO MAIS SAUDÁVEL
Se a companha de um cachorro deixa você menos estressado, não é difícil concluir que seu coração também fica mais saudável. Dessa vez a pesquisa é lá do Japão. Um grupo de pesquisadores monitorou a vida de 191 pessoas, de 60 a 80 anos, com colesterol alto, diabetes e pressão sanguínea alta. 40% dos participantes tinham cachorros. E era esse grupo que corria o menor risco de morrer (medido pela variação dos batimentos cardíacos). Já entre os que já tinham problemas nas artérias do coração, os donos de cachorros viviam, em média, até um ano a mais do que os outros. Os pesquisadores acreditam que, além de diminuir o estresse, a companhia do bichinho supre parte da nossa necessidade de interação social. E isso, claro, nos deixa mais saudável.

AJUDA A CONQUISTAR MULHERES
Quem fez o teste foi um psicólogo francês chamado Nicolas Guégen, da Universidade da Bretanha do Sul, na França. Ele pediu a um ator para pedir o número de telefone de mulheres aleatórias na rua. Na primeira vez, o cara foi sozinho. E só 11 mulheres, dentre 120 abordadas, passaram o número. Quando ele levou um cachorro o número subiu para 34 – sim, três vezes mais!

FAZ BEM AOS BEBÊS
Parece arriscado manter um bebê e um cachorro, cheio de bactérias, no mesmo lugar? Fique tranquilo. Eles só fazem bem: fortalecem o sistema imunológico dos pequenos. Médicos finlandeses acompanharam 397 recém-nascidos ao longo de um ano. E aqueles que ficavam menos doentes (29 dias a menos) eram os bebês que tinham um cão em casa.

E aí, convencido?

Crédito da foto: flickr.com/marcomonetti/

Fonte:

Cachorros são melhores do que gatos

Postado em

Pelo menos no ringue os gatos levam a melhor…

A velha história de que o cachorro é o melhor amigo do homem
tem seu fundamento científico.

Uma pesquisa divulgada pela revista amerciana New
Scientist
 analisou cães e gatos em 11 categorias que incluíam inteligência,
afetividade e obediência. Em um placar
de 6 a 5, os caninos levaram a melhor.

Os cãezinhos entendem melhor os comandos
dados pelos donos, resolvem mais problemas e são mais prestativos. Já os felinos têm os sentidos mais apurados e
incomodam menos miando do que os cachorros latindo.

Apesar das vantagens caninas, os gatinhos continuam sendo os
animais de estimação mais populares do mundo. São 204 milhões de felinos contra
173 milhões de caninos, em uma comparação feita entre os 10 países com o maior
número de bichos de estimação.

Fonte: