4 razões científicas para adotar um cachorro

Postado em

dog1

Precisa mesmo da ciência? Essa foto não basta? Pensar na recepção calorosa toda vez que você chegar em casa também não é suficiente? Bem, então, vamos lá.

DIMINUI ESTRESSE NO TRABALHO
Pesquisadores da Universidade da Comunidade da Virginia pediram a 30 funcionários de uma empresa para levarem seus cachorros ao trabalho, durante uma semana. Outro grupo de 35 funcionários seguiria a rotina normal, sem a companhia dos bichinhos. Todos os voluntários tiveram de responder a questionários e ceder amostras da própria saliva aos pesquisadores  (foi usada para medir o nível de estresse). Ao final do dia, os funcionários “solitários” acabavam o dia mais estressado do que os felizardos acompanhados pelo cão.

DEIXA SEU CORAÇÃO MAIS SAUDÁVEL
Se a companha de um cachorro deixa você menos estressado, não é difícil concluir que seu coração também fica mais saudável. Dessa vez a pesquisa é lá do Japão. Um grupo de pesquisadores monitorou a vida de 191 pessoas, de 60 a 80 anos, com colesterol alto, diabetes e pressão sanguínea alta. 40% dos participantes tinham cachorros. E era esse grupo que corria o menor risco de morrer (medido pela variação dos batimentos cardíacos). Já entre os que já tinham problemas nas artérias do coração, os donos de cachorros viviam, em média, até um ano a mais do que os outros. Os pesquisadores acreditam que, além de diminuir o estresse, a companhia do bichinho supre parte da nossa necessidade de interação social. E isso, claro, nos deixa mais saudável.

AJUDA A CONQUISTAR MULHERES
Quem fez o teste foi um psicólogo francês chamado Nicolas Guégen, da Universidade da Bretanha do Sul, na França. Ele pediu a um ator para pedir o número de telefone de mulheres aleatórias na rua. Na primeira vez, o cara foi sozinho. E só 11 mulheres, dentre 120 abordadas, passaram o número. Quando ele levou um cachorro o número subiu para 34 – sim, três vezes mais!

FAZ BEM AOS BEBÊS
Parece arriscado manter um bebê e um cachorro, cheio de bactérias, no mesmo lugar? Fique tranquilo. Eles só fazem bem: fortalecem o sistema imunológico dos pequenos. Médicos finlandeses acompanharam 397 recém-nascidos ao longo de um ano. E aqueles que ficavam menos doentes (29 dias a menos) eram os bebês que tinham um cão em casa.

E aí, convencido?

Crédito da foto: flickr.com/marcomonetti/

Fonte:

Anúncios

Cachorros são melhores do que gatos

Postado em

Pelo menos no ringue os gatos levam a melhor…

A velha história de que o cachorro é o melhor amigo do homem
tem seu fundamento científico.

Uma pesquisa divulgada pela revista amerciana New
Scientist
 analisou cães e gatos em 11 categorias que incluíam inteligência,
afetividade e obediência. Em um placar
de 6 a 5, os caninos levaram a melhor.

Os cãezinhos entendem melhor os comandos
dados pelos donos, resolvem mais problemas e são mais prestativos. Já os felinos têm os sentidos mais apurados e
incomodam menos miando do que os cachorros latindo.

Apesar das vantagens caninas, os gatinhos continuam sendo os
animais de estimação mais populares do mundo. São 204 milhões de felinos contra
173 milhões de caninos, em uma comparação feita entre os 10 países com o maior
número de bichos de estimação.

Fonte:

Gatos não atendem seu chamado de propósito

Postado em

gato1

Esnobes. Mesmo quando não veem os donos, eles reconhecem a voz, mas preferem não fazer nada. Para quê, né?

Quem testou essa relação entre gato e dono foi o pessoal da Universidade de Tóquio. Eles pediram a 20 donos de gatos para gravarem a própria voz enquanto chamavam pelo bichinho.  Então, visitaram a casa de cada um deles. Quando os donos estavam fora de vista, colocaram as gravações – dos donos e de outros três estranhos chamando por eles.

Os pesquisadores analisaram as respostas dos gatos pela maneira como moviam as orelhas, rabo e cabeça, dilatação dos olhos e se mexiam as patas. E os gatos davam mais sinais de respostas às vozes dos donos do que às gravações de desconhecidos. Mas preferiam não sair do lugar. Ficavam paradinhos.

“Esses resultados indicam que os gatos não respondem ativamente aos donos que estão fora de vista, mesmo quando eles distinguem suas vozes”, conclui a pesquisa. “Historicamente falando, gatos, ao contrário de cachorros, não foram domesticados para obedecerem às ordens humanas. Em vez disso, eles parecem ter tomar a iniciativa na relação homem-gato”.

Ah, deixa eles. São tão fofos.

Crédito da foto: flickr.com/uomoelettrico

Fonte:

Zoo do Taboão sofre com o abandono

Postado em

Quem visita o zoológico de Taboão da Serra não consegue nem identificar quais são os bichos. O lugar parece abandonado. A falta de manutenção é um perigo e ameaça os bichos.

Assista a reportagem completa aqui

Cão abandonado em SP: dona do animal é identificada

Postado em

Image

A polícia já sabe quem é a pessoa que abandonou um cachorrinho no meio do trânsito de SP e na chuva. A mulher deve responder por maus tratos aos animais.

Veja a reportagem completa aqui

Cachorra entra em depressão após perder filhotes “tatus”

Postado em

Image

Em Guaporema, no interior do Paraná, a cadela Faísca anda triste após ter os seus filhos adotivos, dois tatus, longe de seus cuidados.

Entenda essa curiosa história

Teste: qual raça de cachorro mais combina com você?

Postado em

Teste: qual raça de cachorro mais combina com você? (Foto: Thinkstockphotos)

Amor, companhia, segurança, vida saudável. São diversos os motivos que levam uma pessoa a querer viver com um cachorro por perto. Mas na hora de escolher, muitas acabam levando mais em conta suas afinidades com as características físicas dos cães, como tamanho, formato do focinho e tipo de pelo, do que com os traços de comportamento do animal.

Existem hoje no mundo cerca de 300 raças de cachorros. Entre os peludos, grandalhões e nanicos, há aqueles que costumam ser mais brincalhões, desengonçados, agressivos e sossegados. Como toda regra, há exceções. Dois cães de uma mesma raça podem apresentar comportamentos bem diferentes. Voltando à regra, raças de cachorros que apresentam um determinado tipo de comportamento podem combinar melhor com a personalidade e estilo de vida de seu dono.

Faça o Teste aqui